WhatsApp

+55 (11) 98627- 2314 | Atendimento: (11) 2941-0897

Desfrute de todos os encantos da “cidade do Tango” - Vitrine das Noivas

Lua de Mel

10/01/2017 às 18h20 - Atualizada em 10/01/2017 às 18h20

Desfrute de todos os encantos da “cidade do Tango”

Monica Trevizam
São Paulo - SP

Priscilla Silvestre





Conheça sugestões de passeios para sua lua de mel em Buenos Aires
 
Por Priscilla Silvestre
Crédito das Imagens: Priscilla Silvestre/ Diego Torres (Puerto Madero, Metrô e Obelisco)/ Divulgação (Parque de La Costa)
Tenho muito prazer em falar de Buenos Aires por ter morado lá por uns tempos. A primeira vez que pisei na “terra do Tango”, por volta de 2004, já me encantei pela beleza do local, pela receptividade das pessoas (mesmo fora dos pontos turísticos) e até mesmo por toda a facilidade em se locomover por qualquer meio de transporte.
É muito fácil ir a diversos locais usando os ônibus, os quais você paga pelo trajeto que irá percorrer, não uma tarifa única e que independe se você descerá um ou dois pontos depois, como acontece aqui no Brasil. Estar na Avenida 9 e Julio (a principal de lá), por exemplo, e ir ao bairro de La Boca sairá por menos de R$ 3 se você utilizar o ônibus (mesmo sendo um pouco distante), que é de fácil acesso em qualquer ponto nessa avenida. E, cá entre nós, além de não ter aquela “muvuca” toda de gente enfiada no transporte coletivo, como acontece por aqui, você ainda vai conhecendo a cidade, já que para quem está viajando todas as paisagens são bem-vindas.
 
O metrô também é bastante simples e com a possibilidade de integração pelas próprias linhas dentro de túneis que levam você às demais, que vão de A até H. Como por lá todos os metrôs são subterrâneos, muitos até facilitam que você passe por eles para atravessar grandes avenidas e não ficar esperando os semáforos abrirem. Vai uma dica: se você for pegar o metrô várias vezes em Buenos Aires, compensa muito mais comprar o cartão SUBE (como o Bilhete Único, de São Paulo), cujo nome vem de “Subte”, metrô em espanhol, em que a passagem custará algo em torno de $ 4,50 pesos argentinos com ele por viagem.
Pontos turísticos clichês que merecem a sua visita!
Não há como ir a Buenos Aires e não conhecer a “Calle Florida”, a famosa rua das compras. Nela você encontra de tudo, para todos os tipos de bolsos e gostos. Claro que você deve tomar cuidado com a qualidade das roupas e até mesmo falsificações, porém, é um local cheio de oportunidades para renovar o guarda-roupa, comprar lembrancinhas e até produtos mais elaborados. Além de grandes lojas de departamentos, lugares para comer e pequenos comércios para adquirir diversos produtos, no trajeto você encontrará muitos artistas de rua, que apresentam desde artesanato até shows de músicas e danças. Se você estiver com tempo, em alguns casos compensa dar uma paradinha para apreciar a arte deles e, de quebra, a cultura local.
Caso queira pechinchar um pouco mais, uma das travessas da Florida é a “Calle Lavalle”. Nela você encontrará mais lojas, as quais eles chamam de “tiendas”, muitas vezes com preços mais em conta.
 
Indo até o final da Florida você chegará à “Galeria Pacífico”, um shopping bem estruturado, com arquitetura mais chique e que tem lojas com marcas renomadas, como a MAC e a Lacoste.
 
Ali pertinho mesmo dessa rua encontra-se o “Obelisco”, um dos “clichês” e ponto de referência na hora em que os “portenhos” irão te ensinar algum caminho. Ele fica na Avenida Corrientes, acerca da 9 de Julio, e merece uma foto. Ande um pouquinho mais nessa última avenida e aproveite para conhecer a “Casa Rosada”, sede da presidência de lá, onde você terá bancos, gramados, muitas flores e um cenário lindo para diversas fotografias. Ir à noite é outra opção, pois ela muda de cores com as iluminações e fica ainda mais deslumbrante.
 
Tango, baladas e vida noturna
Para quem quer aproveitar a noite de Buenos Aires, as escolhas são muitas. Puerto Madero, Palermo, Abasto e o próprio centro da cidade são alguns dos bairros que oferecem noites de tango maravilhosas. Veja com seu guia turístico ou pesquise no balcão do hotel e na internet (caso estejam por conta) quais lugares oferecem preços que vocês estejam dispostos a pagar e até mesmo se há jantar incluso e aulas de tango nesses espetáculos, aos quais eles chamam de “milongas”. A mais famosa é a “Señor Tango”, porém, não é a única. Pesquise e visite uma casa com esta atração, pois vale muito a pena ter uma noite ao som dessa cultura tão marcante de Buenos Aires, com um jantar nesse clima e ainda arriscar alguns passos deste estilo musical.
Se a ideia é ir para uma “boite”, como eles chamam as casas noturnas que mesclam diversos tipos de músicas (as chamadas “baladas” em São Paulo ou “boates” em muitos outros lugares do Brasil), os bairros mais atraentes para isso são Palermo e Puerto Madero.
Aliás, Palermo tem uma infinidade de casas noturnas para todos os tipos de sons procurados, desde o eletrônico ao reggaeton. Por lá, conheci algumas e entre as muitas me apaixonei pela “Asia de Cuba” (Puerto Madero) e pela “Ink Buenos Aires” (Palermo).  Não recomendo a ida ao Sirena, embora ele tenha um nome “de peso” e a rede seja bastante conhecida mundialmente, pois falta infraestrutura para suportar tanta gente, filas enormes para ir aos banheiros e comprar qualquer bebida é uma missão praticamente impossível.
Já a maioria dos pubs fica no centro e em outro bairro bem tradicional de lá, o San Telmo. “La Poesía” (San Telmo), “El Federal” (San Telmo) e “The Temple” Bar (Centro) foram alguns em que fui e me senti muito à vontade, com rápido atendimento, preços super atraentes e uma atmosfera bem alegre.
Mas, claro, pesquisando existem muitas outras possibilidades em se desfrutar da vida noturna que Buenos Aires proporciona. Ir e voltar de táxi não custa caro e você pode escolher aonde quer ir, como e o que espera do local, além de ter a segurança de poder beber e não dirigir na volta!
 
La Boca é um local imperdível!
Para os amantes do futebol, não deixem de conhecer La Boca, onde no final da rua perto do Rio Riachuelo fica o Estádio do Boca Juniors. Comece seu trajeto pelo El Caminito, o ponto mais famoso do bairro, com tradição das muitas cores do local (que são mantidas até hoje como patrimônio histórico, pois esse colorido foi causado pelas pessoas que chegavam através de barcos e navios até o local e usavam as tintas que sobravam das pinturas dos cascalhos para dar cores as suas casas, construídas “à mão”). Por lá você encontrará muitos restaurantes, bares, galerias de artesanatos, a loja mais famosa da Havanna, além de sósias e dançarinos nas ruas. Preste atenção nesta dica: toda foto em estilo tango, naqueles painéis em que você coloca o rosto em um buraco para dar “sua cara” ao personagem ou com os personagens, como o sósia do Maradona, são cobradas, portanto, se não quiser desembolsar $ 20 ou até $ 40 pesos argentinos (dependendo da época), fuja deles.
Depois, pergunte como se chega ao Boca Juniors, onde você poderá fazer um city tour no museu e pelo estádio.
 
 
Outra dica: chegue cedo ao bairro, pois além de haver horários certos de visitação das atrações no estádio, às 17h o bairro começa a praticamente ser “desmontado”, pelo medo de possíveis assaltos que possam haver na escuridão do espaço comercial ou em dias de jogos.
Indo mais a fundo, se você quiser conhecer mais um local de futebol, há também a visitação do museu e o city tour pelo Estádio Monumental de Núñez, do River Plate, que fica em Palermo. Tire um dia para dedicar a essas visitas e aproveite ao máximo tudo o que o futebol argentino tem a oferecer.
 
 
Últimas dicas!
Eu poderia fazer um texto muito grande sobre essa cidade que tanto me fascina e eu já tive a oportunidade de não só morar lá, como ir 8 vezes como turista, desfrutando cada vez mais de todos os cantinhos que ia descobrindo a cada ida e compartilhar tudo com vocês. Porém, não dá, né?
Mas vamos às últimas: Não deixe de conhecer Puerto Madero durante o dia e à noite, pois a paisagem muda completamente e é um dos lugares mais lindos do mundo. Se você quiser desfrutar de um jantar a preço bom, com um buffet bem servido, bebida inclusa e uma sobremesa, vá ao “La Bistecca”. Existem mais alternativas por ali, como o “Siga la Vaca” e até um “Burger King”, mas esse restaurante eu nunca deixo de ir quando estou por lá. Porém, fique ciente de que as carnes não vem até a mesa, mas sim você quem deve ir até o setor de churrasco e pedir pelo o que quer. O atendimento é assim em todas as churrascarias de Buenos Aires, por isso, não fique sentado à mesa esperando que o garçom venha com o espeto servi-lo!
 
Depois, aproveite e visite o Casino Puerto Madero, que é bem pertinho dali e fica submerso. O local é lindo (com o estacionamento feito por cartas de baralhos para a localização dos carros) e lá dentro você pode arriscar algumas jogadas e, quem sabe, até ganhar alguns pesos argentinos nas máquinas ou jogos de azar. Porém, anote aí: é proibida a entrada de câmeras fotográficas e você será revistado em um raio-x antes de entrar. Deixe os seus pertences no guarda-volumes.
 
Se você tiver tempo na sua viagem, vá até El Tigre, um distrito que fica a 32 km da capital. Você poderá fazer um lindo passeio de chalana e conhecer as ilhas de Delta, com casas luxuosas de pessoas renomadas e até personalidades internacionais. E para quem gosta de parques de diversão, o Parque de La Costa é um lugar maravilhoso, com brinquedos para todas as idades, teatros infantis, montanhas-russas e muitas outras atrações. Somente confira se ele está aberto e o horário de funcionamento quando estiver por lá, pois no inverno (que é bastante frio) eles fecham. Chegar é fácil: você pode ir com um ônibus de excursão ou de trem, indo da estação Retiro do metrô (linha C) até Tigre, a qual dura aproximadamente 45 minutos e você paga só as passagens do metrô convencional e o da Linha Ferroviária do Ferrocarril Mitre, que não chega a mais de R$ 10 por pessoa.
 
Não poderia deixar de citar essa para as meninas ou adultas, que são amantes da Barbie: em Palermo há uma loja só dela. Além de cupcakes e doces com designers da boneca, a loja é toda “fofa” e com venda de diversos produtos com estampas e menções à boneca.
Por fim, aos domingos existe a famosa feira de San Telmo, em que uma grande rua do bairro é fechada para uma enorme quantidade de expositores de artesanatos. Não perca esse passeio lindo, que mescla cultura à diversão!
Sugestões para você anotar!
- Tente sempre negociar os valores das suas compras em lojas e restaurantes em Reais ou até mesmo Dólares. Faça uma conta rápida na calculadora e veja se compensa, pois com a nossa moeda ou a americana você pode chegar a economizar 30% ou mais no valor. Para a Economia deles é bom, para o bolso do turista melhor ainda;
- Eles são bem solícitos em entender o “portunhol”, portanto, preocupe-se mais em ser educado a tentar falar o idioma deles. Mas palavras como “Con permiso” (Com licença), “Gracias/ Muchas gracias” (Obrigado/ Muito obrigado), “Adiós” (Tchau) e “Como llego a...?” (Como chego a...) são muito bem-vindas em mostrar educação e perguntar alguma localização quando achar necessário;
- Em Buenos Aires é usual deixar gorjeta em todos os lugares, já que não há taxa de serviço inclusa no preço final do serviço. Portanto, sempre guarde alguns Pesos Argentinos separados para isso;
- Em algumas lojas, principalmente em La Boca, é comum que alguns preços estejam em Dólares. Então, sempre pergunte ao atendente em qual moeda está o valor da etiqueta do produto;
- Desfrute muito da arquitetura estilo europeia nesse país da América do Sul. Os prédios remetem a este outro continente e você irá se sentir fora do eixo por várias vezes;
- Argentino e tão ou mais apaixonado por futebol do que os brasileiros. Caso sinta que a pessoa não é muito receptiva, evite este assunto e até em mostrar as suas preferências por times brasileiros ou os de lá;
- Troque seu dinheiro em bancos, evite os cambistas e os famosos “golpes de notas falsas”. Nas próprias fachadas dos bancos há as cotações e você pode pesquisar qual deles está pagando mais pelo seu dinheiro. Leve o seu passaporte ou a identidade juntamente ao papel de entrada no país quando for fazer a troca no banco, pois essa documentação será pedida;
- Pesquise bastante na internet antes de fechar pacotes de passeios ou visitar qualquer lugar, desde teatros até shows ou restaurantes. Há infinitas opções que fogem dos vendidos pelos guias e agências, sendo tão boas ou até melhores, mas com preços mais acessíveis e sem a “invasão” de brasileiros no local.

ESTA MATÉRIA FOI VISTA 249 VEZES

Comentários

Veja também










© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados